sexta-feira, 15 de junho de 2018

CR7 ESTEVE IMPERIAL NO 1º JOGO DO CAMPEONATO DO MUNDO!


ESPANHA, 3 - PORTUGAL, 3


A equipa portuguesa não fez uma grande partida mas o melhor jogador do mundo, com uma exibição memorável, atenuou e disfarçou essa fraca exibição, marcando os três golos da selecção das quinas que garantiram o empate frente à poderosíssima esquadra azura, candidata à conquista deste Campeonato do Mundo que se está a disputar na Rússia.

Portugal entrou muito bem na partida e nos primeiros 15 a 20 minutos jogou de igual para igual, tendo até inaugurado o marcador aos 4 minutos, beneficiado de uma grande penalidade cometida por Nacho sobre Ronaldo e que o próprio marcou de forma superior, atirando a bola para um lado e o guarda-redes para o outro.

Depois, Diego Costa haveria de empatar aos 24 minutos, em jogada precedida de falta. Foi clara a cotovelada de Diego Costa na face de Pepe mas o golo foi validado, não tendo o VAR visto aquilo que toda a gente viu no Estádio e nas televisões que transmitiram o jogo e levaram as imagens a todos os cantos do mundo.

Portugal ainda voltou a colocar-se na posição de vencedor, quase a terminar a primeira parte, por intermédio do "melhor jogador do mundo" e com a preciosa colaboração de David de Gea que deixou escapar para dentro da baliza o remate de Cristiano Ronaldo, à figura.

A Espanha entrou forte na segunda parte, crescia e abusava da posse de bola. Adivinhava-se que a qualquer momento podia chegar ao empate e até passar para a frente no marcador. Foi sem surpresa que aos 55 minutos Diego Costa bisou e marcou o golo do empate, para 3 minutos depois a Espanha dar a volta ao resultado e chegar, pela primeira vez à posição de vencedora.

Costuma dizer-se que até ao apito final do árbitro tudo pode acontecer e que o futebol não é uma ciência exacta. Pois bem, neste jogo assim aconteceu. Quando toda agente já acreditava na vitória da equipa espanhola que até estava a jogar melhor, eis que CR7 sofre uma falta à entrada da área e do livre, que ele próprio marcou de forma soberba, resultou o saboroso empate a 3 bolas que abre boas perspectivas anímicas para os próximos jogos com Marrocos e Irão e a possibilidade de assegurar o primeiro ou o segundo lugar no grupo e a passagem aos oitavos de final.

Cristiano Ronaldo carregou uma vez mais a equipa das quinas às costas, evitando a derrota e, por isso mesmo foi considerado o melhor jogador em campo, distinção que consideramos absolutamente justa.

Se a equipa melhorar o seu jogo colectivo e Cristiano Ronaldo mantiver este excelente nível exibicional, então Portugal poderá fazer coisas bonitas neste Mundial da Rússia.

FORÇA PORTUGAL!

quinta-feira, 7 de junho de 2018

O CAPITÃO VOLTOU E A SELECÇÃO GANHOU!


PORTUGAL, 3 - ARGÉLIA, 0

Portugal cumpriu esta noite o seu último jogo de preparação para o Mundial da Rússia, antes de disputar o seu primeiro jogo da fase de grupos contra a valorosa equipa espanhola e ganhou, com alguma facilidade à Argélia, uma equipa recheada de bons jogadores.

Não obstante a vitória, a equipa das quinas voltou a repetir aspectos negativos já evidenciados nos outros jogos de preparação.

Uma grande equipa com aspirações a ganhar todos os títulos em que participa tem que ser muitíssimo mais competitiva. Jogar em pressing e velocidade durante 10 ou 15 minutos e depois abrandar e dar todas as chances ao adversário para se superiorizar e tomar conta do jogo, não é a melhor forma para de jogar para alcançar o sucesso.

Hoje, o jogo da Selecção Portuguesa melhorou um pouco relativamente ao anterior, tanto no sector defensivo como no atacante. Portugal, mesmo não tendo feito uma grande exibição, marcou 3 golos mas podia ter concretizado mais algumas oportunidades.

E neste jogo, ficou mais uma vez demonstrado que a equipa joga com mais confiança quando Cristiano Ronaldo está em campo. Na verdade, o melhor jogador do mundo transmite à equipa uma maior motivação e confiança, porque todos os jogadores lhe reconhecem o estatuto de insubstituível e a capacidade de a qualquer momento poder resolver um jogo, por vezes em circunstâncias que só os génios e super dotados conseguem.

A Selecção Portuguesa não pertence ao lote das mais favoritas a vencer o mundial. Porém, se Cristiano Ronaldo tiver a felicidade de os jogos lhe correrem bem e a restante equipa corresponder às exigências de um Campeonato tão competitivo, então, tudo pode  acontecer.

Oxalá que a Selecção faça um brilharete!


terça-feira, 29 de maio de 2018

CRIMINOSOS DE GUERRA

Imagem relacionada
Imagem retirada do Google

Quem são os criminosos de guerra? Criminosos de guerra são todos aqueles que directamente contribuíram para o seu eclodir, sendo por isso responsáveis por todos os crimes cometidos.

Mas criminosos de guerra são também todos aqueles que tendo autoridade moral e capacidade militar para neutralizar os agressores, nada fazem para os impedir.

Uns e outros deviam ser presos, julgados e condenados no TPI, pelos mesmos crimes, porque "é tão ladrão o que rouba a horta como o que fica à porta". Isso, porém, não acontece, porque grande parte desses criminosos são poderosos e com grande poder sobre quem aplica a justiça.

O mundo tem assistido aos horrorosos massacres perpetrados pelas tropas sírias e seus aliados, num cenário de guerra brutal, onde ninguém é poupado. Doi ver tanta crueldade, tanta morte inocente. Que mal fizeram aquelas pobres e inocentes criancinhas para morrer gaseificadas, metralhadas ou esmagadas nos escombros da sua própria casa?

E aquelas criancinhas que escaparam à morte mas assistiram à morte dos seus progenitores e demais familiares? Como poderão aquelas crianças ultrapassar tão grande sofrimento e ser algum dia felizes?

Como pode o ser humano ser tão cruel?

O homem, como ser inteligente que é, já devia ter compreendido que o recurso à guerra não resolve os problemas da humanidade, mas antes os agrava. 

O homem devia desde há muito ter adoptado uma conduta baseada no respeito mútuo, do género: "Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti". Se o homem usasse a sua inteligência para o bem, não haveria guerras, as pessoas não passariam por provações tão desumanas e cruéis e teriam muitas mais possibilidades de ser felizes.

A aplicação da justiça terá que ser sempre feita através das instâncias judiciais e nunca através da guerra e da força das armas. 

segunda-feira, 28 de maio de 2018

PORTUGAL/TUNÍSIA, 2-2 - FALTOU O MELHOR DO MUNDO!

Foto de Manuel Do Carmo Meirelles.

A Selecção Portuguesa de Futebol não tem grandes vedetas, grandes jogadores, ao nível dos melhores jogadores mundiais. Daí que a ausência de Cristiano Ronaldo, provoque sempre um grande vazio e uma enorme baixa de rendimento. Com Cristiano em campo, a equipa das quinas tem mais confiança, mais motivação e, acima de tudo, mais possibilidades e mais ocasiões para transformar jogadas de ataque, em golos.

Hoje, no confronto com os tunisinos, mais uma vez se notou a grande falta do capitão da Selecção Nacional para gerar desequilíbrios com a sua apurada técnica e a sua velocidade. Para além do mais, Ronaldo marca golos, faz assistências e faz com que a equipa jogue melhor futebol.

A equipa fez uma primeira parte com uma qualidade razoável mas com pouca intensidade, motivo pelo qual a equipa africana pôde controlar o jogo com alguma facilidade. Portugal chegou ao 2-0 nos primeiros 45 minutos, por intermédio de André Silva e João Mário mas os tunisinos ainda reduziram antes de terminar a primeira parte.

Na segunda parte, após várias substituições, o jogo da equipa portuguesa perdeu qualidade, menos discernimento, muita falta de criatividade, muitos passes errados e menos posse de bola. Essa alteração, para pior, permitiu à equipa adversária ganhar algum folgo e , com isso, chegar ao empate, 2-2.

O treinador não gostou do resultado e da desconcentração de alguns jogadores e promete rectificar para não acontecerem os mesmos erros nos restantes jogos de preparação, confiante de que a equipa vai chegar à fase de grupos do Campeonato do Mundo, na Rússia, em condições de enfrentar qualquer adversário para ganhar.

A verdade, é só uma: com Ronaldo a equipa vale o dobro.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

O GOVERNO DAS MIL UMA TRAPALHADAS!


 Imagem retirada do Google

Desde a tomada de posse do XXI Governo Constitucional, presidido por António Costa, as trapalhadas têm sido tantas e algumas tão graves, que não podemos deixar de nos interrogar e perguntar: como foi possível que este Governo tenha sobrevivido a tanta trapalhada?

Os portugueses têm assistido a este constante desfilar de toda a espécie de trapalhadas e nem vale a pena enumerá-las porque seria fastidioso. Mas a nomeação para cargos governativos de personalidades que não preenchem os requisitos exigidos por lei, tem acontecido vezes sem conta, sem que de tais actos tenham sido retiradas as necessárias consequências políticas.

Nalguns casos, o Primeiro-Ministro acabou por deixar cair os prevaricadores mas noutros, em situações semelhantes, António Costa desvalorizou a gravidade dos seus actos e saiu em sua defesa, mantendo-os nos seus cargos.

Ainda se lembram dos episódios com a tomada de posse da Administração da Caixa Geral de Depósitos? Das imensas trapalhadas que rodearam os incêndios do Verão e do Outono do ano transacto? E as cativações? E a candidatura de Portugal à Agência Europeia do Medicamento (EMA)? Então que dizer da transferência da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) de Lisboa para o Porto? E como classificar o roubo do material de guerra dos Paiós Nacionais de Tancos? E como explicar todas as trapalhadas e indecisões, durante tanto tempo, acerca da poluição no Rio Tejo? E que dizer do envolvimento de membros do Governo em vários escândalos com a atribuição de subsídios fraudulentos a diversas Fundações, nomeadamente à Raríssimas?

Bem, depois da gigantesca tragédia que resultou dos fogos de 2017, onde há a lamentar a morte de 115 (?) pessoas! e avultadíssimos prejuízos materiais, sabe-se agora que o auxílio às vítimas tem sido uma completa falácia. Muito do auxílio que tem chegado dizem que é dos particulares e da solidariedade social porque no diz respeito às responsabilidades do Governo, o auxílio não passa de promessas e conversa fiada.

Podíamos continuar a escrever sobre as trapalhadas do Governo liderado por António Costa porque elas são muitas mas, ironia das ironias, Pedro Santana Lopes viu o seu Governo, com maioria absoluta na Assembleia da República, ser exonerado por Jorge Sampaio com o argumento de só fazer trapalhadas, quando, na verdade, em termos de trapalhadas, Santana Lopes não passa de um menino de coro, quando comparado com António Costa.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

VIOLÊNCIA E BATOTA NO DESPORTO

Imagem relacionada
Imagem retirada do Google

A violência e a batota no Desporto, com mais incidência no futebol, andam de mãos dadas há muitas décadas e nunca foram tratadas pelos órgãos federativos e Ministério Público, com a eficácia, celeridade e severidade que seria aconselhável. Durante décadas foram cometidos crimes gravíssimos no desporto, tendo sido permitido aos batoteiros tirar benefício das suas trapaças, para si e para os seus clubes, em completa impunidade. 

Foram pois, os órgãos que regem a disciplina no desporto e a justiça em geral, que pela sua inacção, deixaram crescer e engordar o monstro, o qual tem protagonizado actos indignos e repugnantes que  envergonham o futebol português e todos aqueles que abominam essas práticas.

Se os prevaricadores fossem imediatamente responsabilizados pelos seus actos, julgados e condenados, em função do seu grau de gravidade, com toda a certeza, que a violência e a batota no desporto, diminuiriam drasticamente, em pouco tempo.

Pagar subornos, intimidar, ameaçar e agredir agentes desportivos para os pressionar a agir da forma que lhes convém, tem sido uma prática corrente em Portugal. Quantos casos todos nós conhecemos de árbitros que foram aliciados, subornados, intimidados, ameaçados e até agredidos? No desporto não pode valer tudo. A verdade desportiva tem que ser apenas aquela que resulta das competições entre as equipas dos diferentes clubes, em ambiente de lealdade, cordialidade e fair play. 

É fundamental que a Direcção dos clubes seja preenchida com pessoas de bem, capazes de estabelecer diálogo com os seus parceiros e contribuir para a pacificação e dignificação do desporto e a resolução dos seus inúmeros problemas.

Alguns programas televisivos sobre futebol, são de tal maneira chocantes que deviam ser imediatamente suspensos. Os seus intervenientes, a quem chamam de comentadores, não passam de uns fanáticos paspalhos sem carácter que se insultam mutuamente, utilizanto uma tal violência verbal que ofende e revolta os telespectadores. Esses "comentadores" são também responsáveis pela violência no desporto, porque eles próprios fazem propaganda à violência, em directo, para milhares de pessoas, semana após semana, nos canais televisivos onde destilam violência, ódios e vinganças.

Há muitos anos, para definir e dar um exemplo do que deve ser o desporto, escrevi esta analogia:

Atentar contra o sorriso, o encanto, a beleza, a pureza e a inocência de uma criança, é crime.
Atentar contra a nobreza de princípios que deve nortear o desporto nas suas múltiplas modalidades, é crime também.

terça-feira, 15 de maio de 2018

BAS DOST AGREDIDO POR ADEPTOS LEONINOS! - INACREDITÁVEL!!!



Imagem retirada do Google

Segundo notícias veiculadas pela imprensa, o avançado leonino foi violentamente agredido por um grupo de cerca de 50 adeptos do Sporting encapuzados que esta terça-feira invadiram a Academia de Alcochete e terão entrado num dos balneários do complexo desportivo e agredido alguns jogadores e equipa técnica, deixando atrás de si um rasto de destruição.

Na foto, vemos o brioso atleta sportinguista completamente amargurado e de lágrimas nos olhos, em cuja cabeça são visíveis os graves ferimentos de que foi vítima.

Estye é o resultado do mau comportamento dos dirigentes do futebol português e do seu repetido discurso de incentivo ao ódio e à vingança. As consequências estão à vista de todos e se nada for feito para alterar este estado de coisas tão graves, provavelmente ainda irá ocorrer alguma tragédia que deixará de luto o desporto-rei.

O Presidente do Sporting tem sido um péssimo dirigente e um verdadeiro atiçador de ódios e vinganças. Ele nem sequer poupa os seus próprios atletas, a quem acusa de deslealdade e de não jogarem o que está ao alcance das suas possibilidades. A irresponsabilidade de quem assim actua, está a dar força e a convidar energúmenos como os que hoje invadiram a Academia, para dar um correctivo aos atletas. Quem semeia ventos arrisca-se acolher tempestades e no Sporting parece que é isso que está a acontecer.

O Presidente do Sporting não tem condições para dirigir uma Instituição tão prestigiada e com uma história tão rica. O seu comportamento tem desprestigiado o Clube, dirigentes, sócios e simpatizantes mas ele não é o principal culpado. Culpados foram aqueles que o elegeram uma primeira e uma segunda vez e lhe fizeram a vontade ao reforçar a sua liderança, aprovando as suas propostas em Assembleia Geral por uma maioria superior a dois terços. 

Costuma dizer-se que cada um tem aquilo que merece e, na verdade, os sportinguistas têm aquilo que escolheram livremente em sucessivas eleições.

O desporto não pode ser ódio, vingança e violência. Uma derrota tem que ser aceite com desportivismo, reconhecendo-se o valor do adversário. Precisamos de dirigentes que saibam respeitar os adversários e não façam aos outros o que não gostariam que lhes fizessem.

Quem de direito tem que pôr mão nisto e tratar o mal pela raiz, sem dó nem piedade, doa a quem doer.