terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

NÃO DEIXEM MORRER O RIO TEJO!!!

Resultado de imagem para percurso do rio tejo
Imagem retirada do Google

Há décadas que umas quantas Empresas da área industrial da pasta de papel e outras, focadas no lucro fácil e completamente indiferentes aos graves crimes ambientais que têm cometido porque não são penalisadas,  continuam a fazer diariamente grandes descargas poluentes nas águas do rio Tejo, matando toneladas de peixe e destruindo todo o seu ecossistema.

Mas a poluição do rio Tejo, para além de destruir o seu eco sistema, é também um grave atentado à saúde pública com grave prejuízo para as populações que habitam na área de implantação das empresas poluidoras, as quais são obrigadas a suportar maus cheiros e a respirar ar contaminado e impuro. Para além disso, a poluição no Rio Tejo, tem morto ao longo dos últimos anos, toneladas de peixe e o pouco que existe, devido à gigantesca poluição do Rio, é impróprio para consumo. Esta gravíssima situação tem causado grandes prejuízos aos pescadores que viviam da fauna piscícola do Rio mas também ao comércio e turismo devido ao estado de deplorável degradação das suas águas e à desoladora imagem das suas margens.

De facto, o Rio Tejo, a partir de Vila Velha de Ródão está moribundo, em completa agonia e inacreditavelmente, ninguém se apressa a socorrê-lo. Provavelmente, estão mesmo à espera que deixe de respirar, que morra, para depois emitirem a respectiva certidão de óbito.

Que raio de País é este? Que raio de governantes  temos nós? E por onde anda a justiça que tem permitido tão gigantesca impunidade às empresas poluidoras?

O que se passa no Rio Tejo é de uma gravidade tão grande, é tão criminoso, que não se compreende como foi possível permitir tão degradante situação poluidora. Qual tem sido o papel do Ministério do Ambiente? Para que é que existe este ministério? Se houve crimes ambientais, porque razão não foram devidamente apurados esses crimes e punidos os infractores? Se há ministérios que não cumprem o seu papel, então que sejam responsabilizados e demitidos os seus ministros.

Porque não actuam as autoridades competentes contra as empresas poluidoras? Será que também têm  lá interesses económicos ou outros? É isso que é preciso também averiguar e se houver promiscuidade deve ser denunciada e desmascarada.

No último programa "PRÓS & CONTRAS", em que foi debatida a poluição no Rio Tejo, fiquei com a impressão de que o Presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão, estava muito mais interessado em defender as empresas poluidoras do que propriamente contribuir com o seu testemunho para salvar o Rio Tejo da agonia em que se encontra. Não vi aquele autarca a defender corajosa e frontalmente o Rio Tejo, reconhecendo, sem reticências ou meias palavras, o terrível mal que as empresas poluidoras lhe têm causado. Assim, a sua intervenção teve mais a ver com o painel dos CONTRAS do que propriamente com os PRÓS, porque estes não deixaram dúvidas sobre a sua posição, na defesa intransigente da despoluição do Rio Tejo e da condenação aos infractores.

Oxalá que este debate tenha mostrado ao País a dimensão da tragédia poluidora no Rio Tejo e que doravante haja mais cidadãos a "fiscalizar" as águas do Tejo, para que não seja mais possível às empresas poluidoras voltar a cometer os mesmos crimes.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

PORTUGAL É O NOVO CAMPEÃO EUROPEU DE FUTSAL

Resultado de imagem para Portugal campeão europeu de Futsal
Imagem retirada do Google

A patriotíssima e briosa  Selecção Portuguesa de Futsal conquistou brilhantemente, em Ljubljana, na Eslovénia, sem qualquer derrota, o Campeonato Europeu de Futsal, ultrapassando brilhantemente selecções de grande valia.

A final contra a grande equipa espanhola, detentora do título, foi um jogo difícil, intenso e tremendamente renhido que terminou com um sofrido empate a duas bolas. Para apurar o vencedor foi necessário recorrer a prolongamento, no qual a equipa das quinas foi mais feliz, alcançando o golo do desempate já no último minuto de jogo, na conversão de um livre directo, superiormente apontado por Bruno Coelho que bisou na partida, visto que também já tinha sido ele a fazer o golo do empate, quase a terminar o tempo de jogo regulamentar, aos 39 minutos.

Tal como a Selecção Portuguesa de Futebol, que conquistou o último Campeonato Europeu de Futebol e tem ao seu serviço o melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, também a Selecção Portuguesa de Futsal acaba de alcançar o mesmo feito, contando também com o melhor jogador do mundo, Ricardinho.

É claro que um só jogador não faz uma equipa e não ganha jogos mas contar com estes dois extraordinários atletas é de facto meio caminho andado. Ronaldo e Ricardinho são os motores das duas Selecções e a verdade é que a sua mais valia tem contribuído imenso para os bons resultados das duas Selecções.

Os jogadores estão de parabéns e os portugueses só têm que agradecer-lhes por lhes terem proporcionado mais este momento de glória, vivido com grande entusiasmo e vibração.


CARDEAL PATRIARCA DE LISBOA, D. MANUEL CLEMENTE, ADVOGA ABSTINÊNCIA SEXUAL PARA OS RECASADOS!!!

Resultado de imagem para Cardeal Patriarca de Lisboa
Imagem retirada do Google

Oh Senhor D. Manuel Clemente, Eminentíssimo Cardeal Patriarca de Lisboa, a orientação que transmitiu na última quinta-feira à Igreja,  acerca dos divorciados que voltam a casar, recomendando que vivam em abstinência sexual, é uma posição retrógrada e ridícula que vai contra as leis da natureza e até contra as orientações do Papa Francisco.

A Igreja necessita de renovação por forma a acompanhar todas as grandes transformações que quase diariamente observamos em todo o mundo. Esta posição do Senhor Patriarca de Lisboa nada tem a ver com a abertura e tolerância que o Papa Francisco tem procurado instituir na Igreja Católica ao longo do seu pontificado. 

Senhor Cardeal Patriarca, o instinto sexual é próprio da espécie humana, nasce com ela e, para além disso, é igualmente comum a todos os seres vivos. Vossa Eminência desconhece que o sexo é uma necessidade fisiológica e que a sua falta pode provocar instabilidade, infelicidade, frustração e até depressão no ser humano? Será que o Cardeal Patriarca de Lisboa acha possível que um casal normal possa viver em abstinência sexual? Bem, se pensa tal coisa, não precisava de tanta cultura e, nesse caso, foi um desperdício todo o tempo que dedicou aos estudos.

Se no entender do responsável máximo da Igreja Católica Portuguesa é tão fácil fazer abstinência sexual, como explica que os seus membros, os quais fazem votos de celibato vitalício, sejam constantemente apanhados em casos de envolvimento sexual com as mulheres da paróquia, sejam elas novas ou velhas, casadas, solteiras ou divorciadas? E a pedofilia no seio da Igreja, D. Manuel Clemente? Como é possível que os homens da Igreja, os discípulos de Cristo que abraçaram livremente o sacerdócio se envolvam com crianças em práticas sexuais? Isso sim, é condenável e intolerável! A esses membros da Igreja é que V. Eminência deveria dirigir-se e arranjar forma de impedi-los de praticar tão criminosos pecados.

Se a Igreja não consegue ter mão nos seus membros e travar os imensos escândalos que todos os dias são cometidos, é absolutamente desajustada e ridícula a intervenção do Cardeal Patriarca de Lisboa ao pretender que os casais recasados façam abstinência sexual.

Senhor Cardeal, a felicidade conjugal depende em boa parte de uma boa prática sexual. A Igreja, ao advogar uma medida tão drástica de abstinência sexual, está a impedir que os casais sejam felizes.

Ao longo dos séculos, a Igreja já fez muito mal às pessoas. Era tempo de acabar com a hipocrisia,  de arrepiar caminho e trabalhar efectivamente para o bem-estar da humanidade. Porém, inacreditavelmente, a Igreja continua a utilizar práticas incompreensíveis que cada vez mais afastam as pessoas desta religião. A Igreja não pode contrariar as leis da natureza e pretender impedir aquilo que é absolutamente normal e quase impossível de contrariar. Os insectos, os répteis, as aves, os peixes e os grandes mamíferos aquáticos e terrestres, dependem das ordens de alguém para praticar sexo?  Eles simplesmente seguem o seu instinto sexual de reprodução e simultaneamente de prazer, tal como acontece com o ser humano.

A prática sexual não é preciso ser ensinada aos humanos, tal como às outras espécies de seres vivos. É o instinto que nasce com eles que se manifesta quando chega o momento adequado. Se forem colocadas duas crianças de sexo oposto numa ilha, longe da civilização, essas duas crianças, sem ninguém lhes ensinar, quando chegar a adolescência e a puberdade, vão ser vítimas desse instinto e sentir a atracção e o desejo sexual.

Senhor Cardeal Patriarca de Lisboa, a acção da Igreja devia ser exercida na ajuda aos mais desfavorecidos, àqueles que não têm família, não têm casa, não têm emprego, que são deficientes e, por essa ordem de ideias, também àqueles que não foram felizes num primeiro casamento. A Igreja, em vez de os escorraçar, devia ajudá-los a refazer a sua vida conjugal e familiar, sem os criticar nem interferir na sua vida sexual.

Lamentavelmente, a Igreja, continua a cometer enormes equívocos e a desacreditar-se cada vez mais. Os sacerdotes não se podem casar, fazem votos de celibato e depois não os cumprem; fazem votos de pobreza mas são a classe social que vive mais desafogadamente. Nada lhes falta e, nesse sentido, são um péssimo mau exemplo para a sociedade.

O Senhor Cardeal devia deter-se nos graves pecados da Igreja e trabalhar exaustivamente para os eliminar  e abster-se de interferir e dificultar a felicidade dos casais recasados.

sábado, 10 de fevereiro de 2018

FOI A CORRUPÇÃO QUE LEVOU PORTUGAL À BANCARROTA

Imagem relacionada
Imagem retirada do Google

Hoje, os portugueses, graças à maior eficácia do Ministério Público, têm uma noção mais exacta do elevadíssimo grau de corrupção que se instalou no País durante décadas e que gozou de vergonhosa impunidade, sobretudo ao nível do Estado, que delapidou o erário público e provocou a falência das finanças públicas.

Foi um tempo miserável, em que os governantes praticaram uma infinidade de actos corruptos que prejudicaram gravemente o Estado e os portugueses para deles tirarem benefícios em proveito próprio.

Lembro-me de obras megalómanas dispensáveis, sem qualquer sentido de oportunidade, levadas a cabo para favorecer certas empresas e determinadas clientelas políticas, em troca de somas milionárias que depois eram distribuídas pelos governantes que intervieram e fizeram aprovar os respectivos projectos. Lembro-me das nomeações feitas à medida, a colocação das pessoas certas nos lugares certos para que os esquemas mafiosos e fraudulentos pudessem ter sucesso. 

Na verdade, os despudorados governantes, para além de forjarem e aprovarem os tais projectos destinados a beneficiar terceiros com o objectivo de receberem chorudas recompensas, também arranjavam depois forma de os financiarem, ao colocarem nas administrações dos Bancos pessoas corruptas da sua confiança. Tal actuação financiadora, sem critério e sem salvaguarda dos interesses da Instituição, intencionalmente levada a cabo, lesou a Banca em muitas dezenas de milhar de milhões de euros ao avalizar e financiar projectos sem qualquer fiabilidade e, consequentemente, sem qualquer viabilidade de algum dia poderem sem restituídos. Veja-se o que se passou na Caixa Geral de Depósitos, Banco Comercial Português, agora denominado Millennium BCP, Banco Espírito Santo, Banif, Banco Privado Português e Banco Privado Nacional, entre outros: Uns faliram e causaram danos irreparáveis aos seus clientes e outros, embora causando também grandes prejuízos aos seus clientes, foram salvos da ruína pelo Estado que injectou neles somas astronómicas de  milhares de milhões de euros.

Foi o tempo do forrobodó, do regabofe, do dinheiro fácil e da vergonhosa impunidade que levou ao empobrecimento do País e dos portugueses, sendo que estes, ao contrário dos corruptos que continuaram a banquetear-se com vidas de luxo, foram depois obrigados a pagar, com grandes sacrifícios e inenarráveis privações, a monstruosa factura que os governantes corruptos e toda a imensa clientela cúmplice que se alimentava à sua volta, criminosamente geraram.

A corrupção passeou impunemente por todos os organismos do Estado, durante décadas, em maior ou menor escala, consumindo uma gorda fatia do Orçamento de Estado, o qual acabava, ano após ano, por não poder dar resposta aos verdadeiros e urgentes problemas do País.  O principal objectivo dos governantes não era governar criteriosa e responsavelmente o País mas sim arranjar complicados esquemas de corrupção para se governarem eles próprios e de difícil acesso à justiça.

Portugal teve tudo para ser um grande País com a entrada na CEE. As verbas que foram disponibilizadas para fazer grandes reformas e modernizar o País, grande parte delas foram consumidas pela  corrupção em que estiveram envolvidos os sucessivos governos. Inacreditavelmente, essa corja de governantes foi capaz de esbanjar uma tão grande oportunidade de fazer de Portugal uma Nação próspera e feliz e, pior do que isso, arrastar o País e os portugueses para a miserável situação de bancarrota.

Sem corrupção, os portugueses podiam viver em melhores condições e acompanhar o nível de vida dos países mais evoluídos e com mais regalias da Europa.

Que a justiça seja capaz de julgar e condenar todos esses miseráveis corruptos.


sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

MAGISTRADO RUI RANGEL A CONTAS COM A JUSTIÇA

Resultado de imagem para Rui Rangel
Imagem retirada do Google

A 2 de Outubro de 2016 escrevi neste Blogue sobre o magistrado Rui Rangel, a propósito de notícias veiculadas pela comunicação social que o incriminavam no processo "Rota do Atlântico", sob o título: "OLHÓ FIGURÃO! - SERÁ VERDADE?

Passados 1 ano e 3 meses aproximadamente, embora ainda não haja qualquer conclusão do referido processo "Rota do Atlântico", já foram extraídas várias certidões que voltam a envolver o magistrado Rui Rangel por supostas irregularidades cometidas no âmbito das suas competências profissionais, na qualidade de magistrado do Tribunal da Relação de Lisboa.

A fazer fé nas notícias avançadas pela imprensa escrita e falada, trata-se de acusações muito graves que a confirmarem-se causarão um enorme descrédito e desprestígio na magistratura portuguesa e arruinarão o bom nome e a carreira de Rui Rangel.

Na verdade, caso os graves indícios criminais de que está acusado venham a ser confirmados, este magistrado deve ser exemplarmente condenado pela Justiça, sem apelo nem agravo, fazendo-lhe sentir na pele a gravidade das decisões que tomou, enquanto juiz, a troco de dinheiro, em acórdãos assinados por si mas elaborados por terceiros, achincalhando e desautorizando colegas de profissão e, ao mesmo tempo, condenando inocentes e absolvendo os verdadeiros criminosos.

Lembro-me de ele ter concorrido a Presidente do Benfica e de o ter ouvido dizer que o Clube estava cada vez mais pobre e as pessoas que o geriam cada vez mais ricas. Agora, depois de todos estes casos que o incriminam com tanta gravidade, somos levados a pensar que o homem tem uma grande lata mas, pelos vistos, nenhuma moral para criticar seja quem for.

Que a justiça apure a verdade e se de facto este figurão fez aquilo de que está indiciado que seja exemplarmente condenado.


MAGISTRADOS QUE EMPORCALHAM E ENVERGONHAM A JUSTIÇA!!!

Imagem relacionada
Imagem retirada do Google

A natureza humana é assustadoramente irresponsável, avarenta e muitas vezes cruel; por isso mesmo, facilmente se envolve em esquemas fraudulentos e corruptos, hipotecando a sua honra e dignidade em troca de recompensas materiais. 

Esta semana fiquei a saber que aqueles que mais responsabilidades têm na administração da justiça, não passam de cidadãos vulgares, sem ética e sem moral, capazes de aplicar uma sentença de condenação a um cidadão inocente e absolver o culpado, tudo congeminado conscientemente, em troca de pagamentos milionários.

Fiquei também a saber que essa classe de cidadãos gozam de privilégios absurdos e imorais a que o cidadão comum não tem direito. Inacreditavelmente, aqueles que deviam dar o exemplo e sujeitar-se ao cumprimento escrupuloso das leis em vigor, em vez disso, uniram-se e cozinharam para sua protecção e defesa, o artigo 16 do Estatuto dos Juízes que é um atentado vergonhoso à igualdade de direitos e deveres dos cidadãos. Essa classe privilegiada da magistratura, utilizou de forma despudorada os poderes que detém para fazer aprovar legislação em benefício próprio, algo que é reprovável e que jamais teria sido possível se os seus autores, na sua grande maioria, fossem possuidores de um forte carácter e de uma adequada formação ética e moral.

O que pretenderam os senhores magistrados com a aprovação do artigo 16 do Estatuto dos Juízes? Proteger-se da Justiça ou realçar a sua superioridade e importância relativamente ao comum dos cidadãos? É que o artigo 16 impede que os magistrados sejam detidos fora de flagrante delito, por nenhum crime e que a prisão preventiva só pode ser aplicada nos casos em que já haja acusação feita e julgamento marcado.

Num País que tem instaurada uma democracia desde 25 de Abril de 1974, esta diferença de tratamento entre cidadãos com os mesmos direitos e deveres, é algo que mancha a democracia e que a Constituição da República não devia permitir.

Pode mesmo dizer-se que muitos dos criminosos que ao longo do tempo têm sistematicamente roubado o erário público e prejudicado o País e os Portugueses, o fizeram porque encontraram facilidades nas leis penais e no articulado da Constituição da República. 

Acabe-se imediatamente com as regalias judiciais dos Juízes, colocando-os em pé de igualdade com os restantes cidadãos, porque não faz qualquer sentido esta discriminação entre cidadãos com os mesmos direitos e deveres. 

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

OS CARTEIRISTAS SÃO O TERROR DOS TURISTAS

Resultado de imagem para carteiristas em acção

Imagem retirada do Google

Devido à forte insegurança que se verifica um pouco por todo o mundo, Portugal transformou-se repentinamente num destino simpático e apetitoso para férias, precisamente porque tem sido e continua a ser um País sem problemas de segurança e, para além disso, tem também um excelente clima, com muito sol, praias maravilhosas, óptima gastronomia e gente simpática.

Presentemente, chegam ao nosso País turistas de todo o mundo, muitos pela primeira vez, os quais ficam encantados com a estadia e prometem voltar. Para Portugal é excelente. A restauração vive novamente momentos de desafogo e o comércio, em geral, também beneficia imenso com este boom turístico. 

A velha galinha dos ovos de ouro regressou. Digo regressou, porque o turismo da década de 70/80/90, foi tão maltratado pelos nossos agentes turísticos que levou a uma diminuição brutal nos anos que se seguiram. Nenhum turista estrangeiro gosta de ser maltratado e "roubado" escandalosamente pela restauração e comerciantes em geral. Espero que tenham aprendido bem a lição e que agora saibam tratar com responsabilidade e profissionalismo os milhões de turistas que nos visitam todos os anos para passar férias, de forma a que fiquem com vontade de voltar e, ao mesmo tempo, convençam os seus familiares e amigos a acompanhá-los e a experimentarem também.

Como não há bela sem senão, ultimamente tenho ouvido diversas notícias sobre turistas que foram vítimas de carteiristas. Esta é, sem dúvida, uma das formas mais usadas para roubar e atormentar os turistas estrangeiros porque ficam sem dinheiro e sem os seus principais documentos de identificação.

As grandes cidades estão cheias destes parasitas que perseguem os turistas e ao menor descuido lhes roubam os seus pertences. Infelizmente, também neste aspecto, a nossa justiça é muito culpada. Um carteirista apanhado em flagrante é levado a tribunal em processo sumário e o juiz manda-o em liberdade. Este procedimento é usual. Raramente é dada uma sentença de prisão preventiva a um carteirista, os quais voltam imediatamente a fazer a mesma coisa. Inacreditável!

Os turistas precisam de ser convenientemente informados como devem proceder para evitar ser roubados por esses meliantes, alertando-os para não trazerem grandes quantidades de dinheiro, objectos valiosos, etc.

Tratem bem a galinha dos ovos de ouro porque ela, se não gostar do tratamento, pode bater asas para outros destinos e depois a penúria volta a tomar conta da restauração e do comércio, em geral.