segunda-feira, 23 de maio de 2011

NA VIZINHA ESPANHA, OS SOCIALISTAS FORAM CILINDRADOS!!!



E EM PORTUGAL???


Os espanhois infligiram uma pesada derrota ao Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), que está no governo desde 2004 e tal como sucedeu em Portugal, levou o País à bancarrota, com o desemprego a atingir a cifra de 23%!!!


Nas eleições regionais e municipais de domingo, 22 de Maio de 2011, o povo espanhol vingou-se e correu com os socialistas da maioria das cidades do país e de quase todas as regiões autónomas!


Foi a mais pesada derrota socialista desde 1978, data em que foi restabelecida a democracia, depois da morte de Franco.


Mais de dois milhões de eleitores voltaram as costas aos socialistas e confiaram o seu voto ao Partido Popular, o mesmo partido que em 2004 foi fortemente penalizado por ter culpado a ETA pelo atentado na estação de Atocha. O povo espanhol acusou o então Presidente do Governo de Espanha, José Maria Aznar, de ter mentido e, na sequência desse episódio, perdeu as eleições para Zapatero, quando uma semana antes, as sondagens lhe davam uma vitória folgada.


Isto quer dizer que os espanhois não suportam governantes incompetentes nem mentirosos, já que penalizaram Aznar por mentir e Zapatero por ser incompetente.


Seguindo este princípio dos espanhois e aplicando-o ao povo português, no dia 5 de Junho, o Partido Socialista vai ser penalisado a dobrar, já que o primeiro-ministro, para além de mentiroso compulsivo, é manifestamente incompetente.


Nessa proporção, será de prever que o primeiro-ministro e o partido a que pertence, sejam o alvo da revolta e da indignação de um povo que foi sucessivamente enganado e gravemente prejudicado.


Pela minha parte, ficaria radiante, se o Partido Socialista, nas próximas eleições legislativas, não ficasse classificado nos três primeiros partidos mais votados!


Se esta realidade se concretizasse, então o povo teria dado uma mais que merecida lição ao primeiro-ministro mais arrogante, mais incompetente e mais mentiroso da história da democracia à portuguesa e serviria de forte aviso para quem vier a sentar o cu na cadeira do poder.


Será o povo espanhol mais responsável e exigente? A resposta do povo português vai ser dada no dia 5 de Junho.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

JUSTIÇA À AMERICANA

Foto retirada do Google


Será possível que um homem tão importante e com tanto poder, tenha forçado uma empregada de limpeza guineense a fazer sexo oral e anal? Ou tudo isto não passa de uma infame armadilha para aniquilar alguém que se tornara incómodo para os grupos financeiros mundiais? É uma história bizarra e muito, mas mesmo muito estranha!!!



Caramba! Que diferença abismal entre a justiça americana e a justiça portuguesa!



Não há qualquer semelhança entre os dois países. Na América, os criminosos são todos tratados de igual forma, em conformidade com a lei, mesmo que se trate do Director-Geral do Fundo Monetário Internacional.


Por um suposto caso de violação de uma empregada de limpeza, a Juíza Melissa Jackson ordenou a prisão de Dominique Strauss Kahn e recusou libertá-lo sob caução de um milhão de dólares!


A justiça portuguesa é uma enormíssima palhaçada. Casos muito mais graves, flagrantes delitos, são tratados com uma irresponsabilidade confrangedora e ridícula.


Criminosos perigosos, reincidentes, são sucessivamente mandados para casa, pelos magistrados que apreciam os seus crimes, instalando nos tribunais o culto da impunidade e do desrespeito pelas leis.



As autoridades portuguesas permitem que esses criminosos tenham comportamentos desrespeitosos e vão a tribunal sem algemas e de cabeça tapada, impedindo que os cidadãos vejam a sua cara.



Na América, os detidos comparecem em Tribunal algemados e de cara destapada, sem qualquer hipótese de fazer gestos obscenos e dirigir insultos aos jornalistas e aos cidadãos que comparecem nesses locais.



Os agentes judiciais portugueses de meia-tigela, deviam ir estagiar para os EUA e aprender como se faz justiça aos poderosos, sem apelo nem agravo.



Imaginem o que faria a justiça portuguesa ao Senhor Dominique Strauss-Kahn, se o que ocorreu num hotel de Nova Iorque tivesse ocorrido num hotel de Lisboa!!!



Já imaginaram?!?!?!



Em primeiro lugar, a queixa da empregada de limpeza nem sequer era levada a sério e depois, ainda seria intimidada e ridicularizada.



Em segundo lugar, caso lhe dessem ouvidos, o Senhor Strauss-Kahn nunca seria preso no aeroporto e dar-lhe-iam todo o tempo do mundo para se pôr ao fresco.



E em terceiro lugar, caso se desse a remota hipótese de o Director-Geral do FMI ser incriminado, jamais seria algemado e encarcerado numa cela e nunca teria que desembolsar um milhão de dólares para aguardar julgamento em prisão domiciliária, com pulseira electrónica.



Provavelmente, até as altas autoridades deste País, seriam capazes de lhe forjar um poderoso alibi, depondo em Tribunal, sob juramento, se necessário, que à hora em que ocorreram os crimes de violação no Hotel Sofitel, o Director-Geral do FMI se encontrava numa importantíssima reunião de trabalho com as autoridades portuguesas.



Porém, nos EUA não é assim e o Director-Geral do FMI, a esta hora já sabe perfeitamente que com a justiça americana não se brinca e que as suas depravações sexuais, se passaram impunes noutros Países, na América, não têm hipótese de passar.



Todos aqueles que neste País têm usado e abusado deste tipo de crimes e se ficam a rir, deviam ser julgados pela justiça americana.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

POLÍTICA & POLÍTICOS










A política, há muito que foi banida do meu quotidiano. Não acredito nessa gente que faz política. Não há verdade, não há honestidade, não há vergonha. Onde quer que esteja um político, há toda a espécie de trafulhice e muita corrupção. O País está de tanga porque essa espécie de gente sem escrúpulos, para além de desonesta e corrupta, é incompetente.
.
No dia 5 de Junho vou, definitivamente, tirar a prova real ao povo português. Se, de facto, depois do que se passou em Portugal nestes últimos anos, os autores de tão gigantesca delapidação das finanças públicas, em vez de serem responsabilizados pelos seus crimes, ainda forem premiados pelo povo, então, a política, para além de banida do meu quotidiano, dar-me-á também a certeza que o povo português não age racionalmente e, consequentemente, tem aquilo que merece.
.
Porém, o meu voto, essa gentalha não leva! Depois de 36 anos de sucessivas mentiras e desilusões, é tempo de dizer basta! Vão trabalhar, malandros! Façam alguma coisa válida, na vida, enquanto têm tempo!
.
Experimentem, ao menos uma vez na vida, o quanto custa ganhar a vida honrada e honestamente, para saberem apreciar e dar valor àqueles que diariamente, o fazem, para levarem no final do mês para casa e para sustento da família, a miséria do ordenado mínimo nacional.
.
O que é que essa multidão de políticos/parasitas faziam com 450 € mensais se a maioria gasta essa verba para alimentar uma pequena parte dos seus maus vícios?
.
Será o povo capaz de lhes dar uma lição no dia 5 de Junho? Sinceramente, não acredito.
.
Uns por ignorância política, outros por convicção e ainda outros por puro fundamentalismo, continuarão a colocar a cruzinha ao lado da sigla em que sempre votaram, incapazes de encontrar razões de sobra para alterar o seu voto.
.
Oxalá eu esteja enganado.

domingo, 15 de maio de 2011

APROXIMA-SE O MOMENTO DA VERDADE!!!



IMAGEM RETIRADA DO GOOGLE

Aproxima-se o momento da verdade. Daqui por três semanas, haverá um julgamento público para absolver ou condenar o responsável pelo período governativo mais ruinoso da história da democracia portuguesa.


Pessoalmente, não acredito que o cidadão comum, minimamente independente e esclarecido, que como eu sofreu na pele as consequências dessa desastrosa governação, vá contribuir, no dia 5 de Junho, com o seu voto, para a absolvição de quem lhes causou tantos prejuízos.


Embora o referido governante tenha descaramento suficiente e carradas de lata para ludibriar uns tantos, especialmente aqueles que tiraram benefícios e proveitos da sua governação, acredito que a grande maioria lhe dará a resposta adequada, contribuindo para corrê-lo da política e da vida pública, com uma estrondosa derrota nas próximas legislativas.


Em função do fracasso que foi a governação, ele sabe perfeitamente que está condenado mas continua a fazer o que sempre fez: mentir descaradamente e com todos os dentes aos cidadãos portugueses, numa tentativa desesperada de evitar uma grande derrota e, consequentemente, o fim da sua carreira política.


É um condenado que tenta desesperadamente agarrar-se a qualquer tábua de salvação mas nenhuma delas é suficientemente forte e segura para o manter à tona da água com vida.


Vejo sondagens que também puxam desesperadamente pelo condenado, tentando convencer os incautos de que não vai haver maioria e que os votos vão ser divididos em partes iguais pelos dois maiores Partidos. Outras adiantam mesmo que o condenado é bem capaz de ganhar as próximas eleições, embora sem maioria e acrescentam que o Partido do ainda primeiro-ministro, tem que participar no próximo governo de Portugal.


Se os desígnios das sondagens se concretizassem, seria uma confrangedora prova de imaturidade


do Povo Português e eu, sinceramente, não acredito nessa imaturidade. Em minha opinião, o povo vai saber encontrar uma solução para ultrapassar a crise económica e política, arranjada pelo actual responsável governativo e essa solução passa, inevitável e irremediavelmente, por uma forte penalização nas eleições de 5 de Junho, do Partido que nos últimos sete anos desgovernou Portugal.


Eu não sei e ninguém sabe qual vai ser o veredicto dos eleitores mas entendo que para penalizar o Partido responsável por tão gigantesco descalabro das finanças públicas, seria não lhe atribuir mais do que 20 a 25% dos votos.


Se isso vier a acontecer, então o Povo terá dado uma tremenda lição ao primeiro-ministro candidato a primeiro-ministro e deixará um sério aviso àquele que lhe vier a suceder, que caso não tenha vergonha e bom senso, o partido a que pertence, em próximas eleições, poderá até ser riscado do mapa.


O Povo tem que aproveitar as poucas oportunidades em que lhe são concedidos efectivos poderes, para fazer justiça, agindo de forma totalmente livre e independente.

domingo, 8 de maio de 2011

CUIDADO COM A PRESUNÇÃO...

IMAGEM RETIRADA DO GOOGLE

Paulo Portas é um político competente e esclarecido que destoa no meio de tanta mediocridade. As suas intervenções políticas são acertadas e sóbrias, encaixando perfeitamente nos problemas do País e que dariam um contributo importante para a sua resolução caso fossem postas em prática.

O seu discurso é fluente e simples, sempre muito bem arrumado e com a preocupação que o mesmo seja entendível por toda a gente. As suas ideias são tão claras e amadurecidas que, normalmente, as enuncia por pontos, demonstrando que sabe do que fala.

É minha convicção de que nem todas as pessoas que gostam da sua maneira de pensar e de estar na política, votam nele. Por isso, o voto expresso nas urnas, não corresponde a todo o eleitorado que simpatiza com ele e aprova as suas ideias. Isto acontece, porque há sempre quem se deixe seduzir pelo "voto útil", embora depois acabem por reconhecer que afinal o seu voto não teve utilidade nenhuma.

O líder do Centro Democrático Social já demonstrou que tem uma ideia para Portugal que é sensata, competente e patriótica e que deseja uma política mais responsável e actuante em todas as áreas da vida pública portuguesa.

Com as ideias de Paulo Portas postas em prática, Portugal não teria atingido a ruína económica e o completo desbaratamento do tesouro do Estado e, por outro lado, a indústria, a agricultura e as pescas, não teriam sido abandonadas em troca de contrapartidas irrisórias que comparadas com os prejuízos que causaram ao País, não passam de um miserável prato de lentilhas.

As sondagens que sempre prejudicaram o líder centrista, fazendo previsões e anunciando resultados que foram sempre inferiores aos verificados nas urnas, estão agora a fazer precisamente o contrário e até lhe atribuem, nas próximas eleições legislativas, um aumento significativo de votantes!

Esta mudança de estratégia não deve ser encarada de forma séria e genuína e o líder centrista deve reflectir maduramente e questionar-se sobre as causas de tal mudança de atitude. O Presidente do CDS deve ter capacidade para descodificar esta súbita simpatia das empresas de sondagem pelo seu Partido e saber interpretar tal mudança, tendo em atenção que sempre o prejudicaram e em contraoartida, sempre beneficiaram o Partido Socialista.

Em meu modesto entender, a razão principal desta mudança, reside no facto de essas empresas de sondagem pretenderem continuar a ajudar o PS, partindo do pressuposto que se o CDS subir, roubará votos ao Partido Social Democrata e, nessa perspectiva, isso será muito bom para o Partido Socialista que, com a ajuda do Partido de Paulo Portas, mesmo numa conjuntura política que lhe é altamente desfavorável, poderia ganhar as próximas eleições legislativas e ficar à frente dos Sociais Democratas.

É claro que se esta maquiavélica estratégia das empresas de sondagem surtisse efeito, arrastando parte do eleitorado dos Sociais Democratas a votar nos centristas, o Partido Socialista salvaria a face e evitaria uma estrondosa derrota nas legislativas de 5 de Junho, facto que constituiria uma tremenda injustiça, face ao descalabro governativo do Partido Socialista.

Só fazendo uma interpretação desta natureza se pode compreender que o CDS esteja a ser objecto de simpatia e atenção preferencial, por parte de quem, no passado, se esforçou por reduzi-lo a cinzas, quando lhe atribuíam 2 a 3% das intenções de voto.

Paulo Portas deve ter cuidado e saber lidar com esta nova situação, não dando muita importância à mesma, sendo mesmo dispensável aquela afirmação, já por diversas vezes repetida, que "o CDS vai ser a surpresa das legislativas". Presunção e água benta, cada um toma a que quer. O segredo é a alma do negócio e a antecipação, por vezes, conduz ao insucesso.

Continuar a trabalhar muito e bem e manter uma postura serena e humilde, transmitindo aos portugueses a verdade sobre o País e apresentando-lhes as melhores soluções para ultrapassar os gigantescos problemas criados pelo Partido Socialista e pelo Primeiro-Ministro José Sócrates, será uma boa receita para convencer muitos portugueses a votar no CDS nas próximas legislativas.

E não esquecer: fazer uma coligação pós-eleitoral com o PS, constituiria uma verdadeira traição ao seu eleitorado e a ruína do CDS em próximas eleições.

sábado, 7 de maio de 2011

SÓCRATES DEVE SER SEVERAMENTE CASTIGADO



IMAGEM RETIRADA DA GOOGLE

Muitas personalidades da área socialista têm criticado a actuação de José Sócrates e apontam-no como o principal responsável da grave crise económica em que está mergulhado Portugal. Há, de facto, cada vez mais personalidades socialistas que sentem a obrigação de denunciar publicamente a criminosa actuação de José Sócrates, contrariando e desmentindo o que diz o núcleo duro do Partido e os governantes, precisamente aqueles que são possuidores de bons tachos e que de forma nenhuma os querem perder.
Agora foi a vez de António Barreto fazer críticas muito contundentes ao Primeiro-Ministro, na entrevista que concedeu ao jornal i que, com a devida vénia, publico a seguir:
António Barreto é peremptório: “Estou convencido que o primeiro-ministro, José Sócrates, precisa de ser muito, muito severamente castigado e a melhor maneira de o castigar é através da via eleitoral. Ele necessita de ser muito severamente castigado porque ele é pessoalmente responsável pelo mau estado a que Portugal chegou, as finanças públicas e o Estado.”
Barreto culpa também Sócrates pela degradação do Partido Socialista: “É pessoalmente responsável pelo mau estado a que chegou o próprio Partido Socialista. Comparado com o que era o PS há dez ou 15 anos, não é o mesmo partido, com capacidade de diálogo e com tranquilidade doutrinária. Este PS já não é isso. O engenheiro Sócrates é o responsável por este caminho e deve ser severamente castigado.
O sociólogo defende que a assistência externa devia ter sido pedida há dois ou três anos, frisando que tinha referido isso anteriormente, e que o Governo actual devia ser de maioria parlamentar ou de coligação.
“É muito inquietante que o Governo tenha conduzido o país em direcção ao abismo. Isso é arrepiante. Há muitos anos que se sabia os perigos que implicava o caminho que estávamos a percorrer. Muitas pessoas alertaram as autoridades, mas os responsáveis foram absolutamente cegos e surdos".
Considera que, apesar de não ter sido um Presidente da República actuante, Cavaco Silva alertou para a situação. “Não foi actuante, mas alertou. E também dentro da política houve alertas e estou a pensar em Manuela Ferreira Leite. E outras pessoas que já estiveram na política, como Silva Lopes ou Medina Carreira.”
Sobre Passos Coelho, ou outros líderes da oposição, prefere não falar. Mas, para António Barreto, o futuro do país não pode ficar nas mãos de José Sócrates: “Não me quero referir muito explicitamente a todos esses políticos - um por um -, não acho que contribua para resolver os problemas, mas num só caso estou convencido que o primeiro-ministro, José Sócrates, não está à altura, não é capaz de contribuir para as soluções futuras.”
E também não comenta para já o pacote de medidas negociado com a troika formada pelo Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco central Europeu: “Só os génios ou os atrevidos é que têm, ao fim de 12 horas, uma opinião sobre este acordo, que é muito complexo [a entrevista realizou-se no dia 4, dia em que foram conhecidas as medidas]. Eu dou as boas-vindas ao acordo de assistência externa. É um acordo que, ao contrário da tradição dos acordos com o FMI, está muito mais atento às questões sociais e à possibilidade de crescimento económico.”

terça-feira, 3 de maio de 2011

ENQUANTO SE PREMIAR A INCOMPETÊNCIA...

IMAGEM RETIRADA DO GOOGLE

Os portugueses habituaram-se a lidar com as convenientes intervenções do Senhor Constâncio, durante o período em que desgovernou o Banco de Portugal, quer sobre o estado das finanças do País, quer sobre as mais diversas previsões, quando as mesmas eram do interesse do Governo.

Na boca do Senhor Constâncio, as contas públicas estavam óptimas e a situação das instituições bancárias era confortável.
Em diversas ocasiões, para dar uma ajudinha ao camarada e primeiro-ministro José Sócrates, o Senhor Constâncio anunciava pomposa e ufanamente ao País, com antecipação, relatórios sobre as mais diversas matérias que interessavam ao Governo, pactuando e colaborando com ele no embuste das contas públicas.
O Senhor Constâncio, pelo facto de não ter desempenhado com responsabilidade, rigor e isenção, o importante cargo de Governador do Banco de Portugal, deveria ter sido chamado a prestar contas à justiça, pelos astronómicos prejuízos que causou ao País e aos portugueses.
Estão lembrados da extraordinária regulação que o Senhor Constâncio fez aos bancos? BPP, BPN, BCP... são exemplos da regulação que foi feita, permitindo que estas instituições bancárias cometessem os mais incríveis "negócios", escandalosamente ruinosos e criminosos para o País e, dessa forma, desbaratassem milhares de milhões de euros.
Pois o Senhor Constâncio, em vez de prestar contas à justiça, foi premiado com um "tachão" dourado no Banco Central Europeu, com o cargo de Vice-Presidente!!!
Em Portugal, para alguns, vale a pena ser irresponsável, incompetente e até corrupto, porque tais actos, afinal, valorizam o seu curriculum e são fundamentais para ascender a cargos ainda mais importantes.
Mas para completar o "excelente" trabalho do Senhor Constâncio à frente do Banco de Portugal, soube-se agora, através de uma notícia tornada pública pelo BCE que em 2010, ainda sobre as suas ordens, o Banco de Portugal depositou, ilegalmente, a sete dias, na Caixa Geral de Depósitos, 12,5 milhões de dólares, tendo sido agora tal ilegalidade justificada como um "erro operacional"!!!
Pois, pois... um erro operacional! De facto, esta gente, para além de ser indecentemente desavergonhada, tem carradas de imaginação!
Vem tudo isto a propósito porque o actual governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, em declarações recentes, responsabilizou os gestores públicos e os decisores políticos pela grave crise em que o País está mergulhado e foi ainda mais longe, ao afirmar que devem ser responsabilizados pelo incumprimento de compromissos orçamentais.
De imediato, pelo facto de dizer a verdade, foi alvo das mais duras críticas, vindas de todos os quadrantes da vida pública portuguesa: políticos, gestores, banqueiros, jornalistas e até do cidadão comum!
São surpreendentes estas críticas e demonstram que a imprensa escrita e falada mas também uma boa percentagem de portugueses, têm uma certa dificuldade em conviver com a verdade e apreciar os actos e atitudes das pessoas de bem. Não raras vezes, pelo contrário, deparamos com o apoio maciço e incondicional dos cidadãos, a figuras públicas que cometeram graves crimes no exercício das suas funções, apoio esse tão forte que até dá para ganhar eleições locais e nacionais! Esta situação é de todo incompreensível e uma perfeita aberração, contrária aos princípios éticos e morais que devem nortear as pessoas ao praticar os seus actos.
Onde andavam os desbragados críticos do actual Governador, o que fala verdade, quando reinava o Senhor Constâncio?
Que pena! que vil tristeza! a constatação de que a imprensa não exerce a sua nobre missão de informar com independência, rigor e isenção!
Acho indecente que a cegueira ou outra qualquer doença partidária, impeça as pessoas de avaliar os actos e as atitudes dos gestores, políticos e governantes à luz da razão e da verdade.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

MORREU O TERRORISTA MAIS PROCURADO DO MUNDO!!!

IMAGEM RETIRADA DO GOOGLE

O Presidente dos Estados Unidos da América (quem havia de ser???), Barack Obama, anunciou no domingo à noite, ao Mundo, que Osama Bin Laden foi morto, nesse mesmo dia, numa troca de tiros, por um grupo de tropas especiais americanas, numa residência onde a sua presença tinha sido detectada em Agosto de 2010.

Finalmente, o maior terrorista de todos os tempos, responsável pela morte de muitos milhares de pessoas inocentes e causador de prejuízos incalculáveis em todo o Mundo, morreu abatido pelas tropas do País que ele mais odiava e que se pudesse tinha arrasado.

Acabou a história de um anti-americano doente e sanguinário, odiado por todas as pessoas de bem e apenas admirado por uns quantos grupos de terroristas que seguiam a sua doutrina.

Com o dinheiro que Bin Laden investiu na Al-Qaida e nas acções terroristas levadas a cabo em todo o mundo, seria possível eliminar definitivamente a fome em algumas regiões do Globo e com o valor incalculável dos prejuízos causados, atenuá-la também nas restantes.

Estamos a falar de uma criatura preenchida pelo ódio que fez da sua vida um palco sangrento das mais horrendas e trágicas vinganças. Ainda que tivesse alguma razão, nada justifica as dezenas de atentados levados a cabo e a morte de tantos inocentes.

Os americanos cumpriram a promessa que fizeram, pela boca do então Presidente George W Bush, quando disse que não descansaria enquanto não entregasse à justiça os terroristas do 11 de Setembro. Hoje ficámos a saber que os EUA reafirmaram essa política e enviaram uma mensagem inconfundível ao Mundo: "não importa o quanto demore, a justiça será feita".

OSAMA BIN LADEN, poderia ter sido um extraordinário benemérito e ter feito imenso bem aos povos de todo o Mundo. Infelizmente, tornou-se o maior terrorista de todos os tempos e assim ficará conhecido para sempre, nas páginas da história universal.

O dia 1 de Maio de 2011, transformou-se numa data histórica no combate ao terrorismo global e representa um grande alívio para a humanidade.

Oxalá a notícia seja verdadeira e os Estados Unidos estejam em condições de poder exibir o cadáver e demonstrar que pertence a Osama Bin Laden.

domingo, 1 de maio de 2011

NOS CAMINHOS DA DROGA

IMAGEM RETIRADA DO GOOGLE

Uma vez ou duas por semana, em dias alternados, faço um percurso de aproximadamente 8 quilómetros, com o objectivo de manter o corpo em forma e em determinados pontos do percurso, presencio sempre o mesmo espectáculo: vindos de diversos locais, confluem num determinado ponto, indivíduos de todas as idades e de todas as condições sociais, uns chegando a pé, outros de taxi e ainda outros em transporte próprio, à procura de droga.

Por vezes, o aglomerado de toxicodependentes é grande porque o fornecedor, por qualquer motivo se atrasou. Quando isso acontece, são audíveis os comentários de descontentamento dos que esperam e desesperam pela "milagrosa" dose de droga.

Por vezes chega um telefonema a informar que o "traficante" não vai ao local e que está noutro lugar. Imediatamente é passada a palavra e todas aquelas pessoas se põem em movimento, como um rebanho de gado, com destino ao novo local.

É um espectáculo impressionante que arrepia e deprime o indivíduo mais corajoso. Alguns toxicodependentes estão num estado andrajoso chocante, mal vestidos, mal alimentados, com marcas profundas de sofrimento no rosto, completamente vencidos e dependentes da droga.

Naquele percurso, há imensos esconderijos onde os toxicodependentes, após adquirirem o produto, o vão consumir imediatamente. Por vezes o cheiro é intenso e dá para entender que há consumidores pelas redondezas.

Eu sei que quem tem vícios é capaz de fazer as coisas mais incríveis para os alimentar. No entanto, na área a que me refiro, se não houvesse tantos prédios velhos abandonados e construções recentes inacabadas porque as empresas faliram, não haveria tantas condições para a prática do consumo e comercialização da droga.

É pena que as autoridades competentes permitam este estado de coisas e não tomem as medidas necessárias para vigiar e acabar com aqueles esconderijos.

Olhamos para jovens na casa dos vinte anos que parecem velhos, completamente desfigurados e sem qualquer objectivo na vida, que apenas estão focados em arranjar diariamente, a qualquer preço, o dinheiro suficiente para comprar a "milagrosa" dose de droga para aliviar o seu sofrimento e fazê-lo feliz por alguns momentos.

Um toxicodependente é um escravo do vício que rompe com laços familiares e é capaz de maltratar os próprios pais para os forçar a dar-lhe dinheiro para comprar droga.

Um toxicodependente, na maioria dos casos, torna-se um cidadão inútil e perigoso e um fardo para a sociedade, uma vez que sob o efeito da droga ou por falta dela, é capaz de cometer os mais inimagináveis crimes.

Nesse sentido, custa-me a compreender que de forma tão descarada, naquele local por onde passo, seja possível a afluência de tantos toxicodependentes e o tráfico de droga.

As autoridades têm conhecimento do que se passa. Tenho a certeza que estão devidamente informadas. Então porque motivo não actuam? Porque se permite espectáculo tão deprimente? O crime tem que ser combatido. Não pode haver traficantes impunes, eles são os responsáveis pela degradação física e intelectual de muitos cidadãos e pela miserável condição de vida a que chegaram.