quinta-feira, 24 de junho de 2010

VERGONHA NACIONAL!!!!!!

Ao ver este vídio publicado na imprensa diária, da autoria da TVI, não resisti a publicá-lo no meu blogue porque numa altura em que os portugueses são sujeitos a grandes sacrifícios para pagar os desmandos de um Governo ruinoso, o Senhor Presidente da Assembleia da República, dá-se ao luxo de renovar a frota de veículos automóveis afectos aos deputados que exercem cargos no âmbito da AR, custando tal operação ao erário público e aos contribuintes portugueses cerca de um milhão de euros!
Não há decoro por parte das entidades públicas e o regabofe continua, tanto em tempo de vacas gordas como em tempo de vacas magras. Pudera!!! O Zé Pagode, mais conhecido por Zé Povinho, paga sem pestanejar todos os luxos que Suas Excelências, os representantes do Povo decidam rodear-se.
Infelizmente, o que se passa na Assembleia da República, é o espelho do que se passa em centenas ou milhares de outros locais do Estado e da Administração Pública, em todo o território nacional.
Muitos casos deste género, são oportunamente denunciados pela imprensa, mas outros nem sequer chegam ao conhecimento dos cidadãos.
Como é que este País, com tais procedimentos, poderá algum dia equilibrar as finanças públicas e canalizar boa parte das receitas para ajudar aqueles que sempre foram prejudicados?
O que é que acham?
video

terça-feira, 22 de junho de 2010

NADA É ETERNO

JOSÉ SARAMAGO deixou o mundo dos vivos aos 87 anos de idade. Outros contemporâneos, seus amigos e mais velhos, ainda continuam a respirar oxigénio e a conviver com essa luz maravilhosa que o sol irradia tão intensamente, diariamente. Viver aos 88, 90, 95, 100 anos..., é um privilégio a que nem todos têm direito, pois uma imensidão morre prematuramente, sem atingir a velhice e sem concretizar as realizações que idealizou.

Ora, com José Saramago isso não aconteceu. Não obstante ter iniciado tarde a sua actividade literária, a verdade é que a exerceu com grande intensidade, produzindo dezenas de obras literárias, algumas de grande notoriedade mas também muito polémicas que lhe mereceram, ainda em vida, o título literário mais valioso "O Prémio Nobel da Literatura".
É claro que a sua prosa não mereceu o reconhecimento, respeito e admiração de todos os portugueses, tendo sido objecto de duras (e infundadas?) críticas, mas essa é uma situação a que todos os homens estão sujeitos, independentemente da raça, cor, confissão religiosa ou política a que cada um pertença.
.
SARAMAGO deu grande prestígio ao País e à literatura portuguesa e, de certa forma, durante alguns anos, viveu amargurado pelo forma como os governantes portugueses o trataram. Essa sua amargura levou-o ao "exílio" e a viver uma grande parte dos últimos anos da sua vida na ilha espanhola de Lanzarote, onde fixou residência em 1993.

Embora nunca o tenha acompanhado nas suas convicções políticas nem mesmo tenha conseguido ler integralmente nenhuma das suas obras, não deixo de ter alguma admiração pelo homem da Azinhaga do Ribatejo, teimoso e persistente que venceu a interioridade e o desconhecido e se transformou num dos homens mais famosos e badalados da literatura mundial.

Nesse sentido, curvo-me respeitoso perante o homem e a sua obra e, como católico que sou, peço a Deus paz para a sua alma.

terça-feira, 15 de junho de 2010

UM PRESENTE ENVENENADO

Passos Coelho jogou o seu futuro político ao decidir estender a mão ao Primeiro-Ministro José Sócrates e jogou esse precioso trunfo com extraordinária mestria, mesmo não tendo colhido o apoio e a concordância de todo o Partido.

Para quem tem ambições políticas e aspira ser Primeiro Ministro, o que faria mais sentido, seria voltar as costas ao seu adversário político e deixá-lo cair, emaranhado nas teias que ele próprio teceu com mentiras, arrogância, incompetência e episódios de puros actos de vingança.

Passos Coelho estendeu a mão a Sócrates porque sabia que estava a estender a mão a um "moribundo". No fundo, no fundo, aos olhos da opinião pública, o gesto é bonito e conquistou a sua simpatia mas a intenção de Paços Coelho foi deixar o ainda Primeiro Ministro cozer em lume brando, até ao momento que achar mais adequado para ocupar o seu lugar.

O líder laranja, contra algumas vozes do seu Partido, seguiu a sua própria estratégia e apostou no desgaste do líder socialista, já que provocar a queda do Governo, seria prestar um enorme favor ao Primeiro-Ministro que assim sairia de cena, num dos momentos económicos mais graves dos últimos 100 anos, ainda antes de o País conhecer a verdadeira dimensão dos problemas que ele próprio arranjou.

Passos Coelho já está a colher dividendos da sua estratégia porque finalmente o Governo e o Primeiro Ministro estão a ser constantemente desmentidos de todos os embustes produzidos ao longo desta e da anterior legislatura e agora todos os portugueses sabem a real situação económica do País e o preço que cada um vai pagar para evitar a banca-rota.

Se Passos Coelho tivesse provocado a queda do Governo, teria de ser ele a tomar todas as medidas impopulares do PEC e a ser responsabilizado por elas, mesmo não as tendo provocado porque os portugueses, normalmente, têm memória curta.

A Sócrates saiu-lhe o tiro pela culatra porque não obstante ter tentado, através de diversas manobras de diversão, provocar eleições antecipadas, nem o líder do PSD nem os líderes dos outros partidos foram no seu engôdo e lhe deram essa satisfação.

Passos Coelho tem agora todas as condições para vencer as próximas eleições legislativas com maioria e não será muito difícil governar melhor que o seu antecessor, desde que adopte uma postura de humildade, seja honesto e não minta aos portugueses.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

TUDO LHES SERVE PARA SE FAZEREM NOTADOS!


Coitados! Tudo lhes serve para se fazerem notados! À falta de honorabilidade, sabedoria e competência para, com merecimento, ganharem o nosso apreço, respeito e consideração, enveredam por críticas sem sentido, injustas e ridículas, tentando pôr em causa o resultado de muitos dias de trabalho, feito por pessoas isentas, competentes e honestas.

Foi o que fez um pseudo-intelectual de meia tigela que até é deputado do Bloco de Esquerda, ao insurgir-se contra a coordenadora do projecto educacional "Reviver 100 Anos de História" que promove um desfile de mais de mil crianças em Aveiro, nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, com quadros representativos de várias épocas, desde a monarquia, passando pela implantação da República, Estado Novo, 25 de Abril e, por último, um quadro sobre a multiculturalidade, representando a actualidade, com a existência de escolas com múltiplas nacionalidades e onde se cruzam múltiplas etnias.

O deputado do BE questionou o Ministério da Educação sobre se tinha conhecimento da iniciativa que, segundo ele, "obriga alunos menores de idade a serem actores num acto laudatório e acrítico de uma página negra da história de Portugal
Joaquina Mourato, a coordenadora do projecto, em resposta, garantiu à Lusa: "Não vai haver nenhum desfile da MP, não vai haver ninguém a recriar a MP, não vai haver nenhuma criança a cantar o hino da MP" e acrescentou que o deputado do BE "contestou aquilo que não existe" e "afirmou que iria acontecer uma coisa que não vai acontecer".

Francamente! Querer ganhar protagonismo à custa de um quadro representativo da Mocidade Portuguesa, integrado num projecto muito mais vasto que pretende, única e exclusivamente, passar em revista 100 anos da História de Portugal, é algo que um cidadão minimamente esclarecido e, ao mesmo tempo, política e intelectualmente honesto, jamais deveria fazer, mas aos 60 anos de idade, depois de tudo quanto já tive a dita e a desdita de presenciar, nada, mas mesmo nada me admira ou surpreende.

As motivações deste deputado, provavelmente são as mesmas que levaram outro deputado bloquista a interpor uma providencia cautelar para embargar as obras do túnel do Marquês, com as consequências nefastas que todos conhecemos, para os automobilistas e para o erário público.

Lamentável que haja pessoas tão facciosas e mesquinhas que tenham da História de Portugal uma visão tão redutora. Tais pessoas não vêem a História de Portugal como um todo, como se a mesma pudesse ser amputada das partes de que não gostam. São pessoas que pensam e agem desta forma que não respeitam os ex-Combatentes e o Regime que eles patrioticamente serviram e pelos vistos também odeiam a Mocidade Portuguesa, uma organização juvenil do Estado Novo que pretendia abranger toda a juventude - escolar ou não - e tinha como fins, estimular o desenvolvimento integral da sua capacidade física, a formação do carácter e a devoção à Pátria, no sentimento da ordem, no gosto da disciplina, no culto dos deveres morais, cívicos e militares. A ela deveriam pertencer obrigatoriamente os jovens dos sete aos 14 anos. Os seus membros estavam divididos por quatro escalões etários: os lusitos (dos 7 aos 10 anos); os infantes (dos 10 aos 14 anos); os vanguardistas (dos 14 aos 17 anos) e os cadetes (dos 17 aos 25 anos).

Por casualidade, não pertenci à Mocidade Portuguesa mas se tivesse integrado as suas fileiras, estaria hoje de consciência tão tranquila, como estou pelo facto de ter servido a Pátria na Guerra Colonial em Angola. De nada tenho que me arrepender porque cumpri os meus deveres cívicos e em nenhum momento admiti encarnar o papel de traidor.

Mas quem se insurge de forma tão hostil pelo facto de uns quantos jovens recriarem e integrarem um desfile com quadros alusivos aos últimos 100 anos da história de Portugal vestidos com a farda da Mocidade Portuguesa, é porque tem grandes queixas dessa organização.

Na Mocidade Portuguesa, os jovens aprendiam a arte do crime? Então, quais foram os crimes que esses jovens cometeram?

Com um pensamento desta natureza, tais pessoas deviam ser proibidas de utilizar certos equipamentos construídos no período do Estado Novo, no tal período que apelidam de "página negra da História de Portugal", nomeadamente pontes, estradas e caminhos-de-ferro.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

FANTÁSTICO!!! A ÁGUA TEM SENTIMENTOS!!!


Fantástico! A água tem sentimentos! Perante diferentes situações, reage de forma diversa!

Se me tivessem colocado esta questão antes de conhecer algumas obras literárias do Dr. Masaru Emoto, um reputado investigador japonês, reconhecido internacionalmente, ter-me-ia rido e feito um mau juízo do meu interlocutor.

Porém, depois de ler "As Mensagens Escondidas na Água", "A Vida Secreta da Água" e "O Verdadeiro Poder da Água", tornei-me um verdadeiro admirador do trabalho desenvolvido pelo Dr. Emoto que me encantou e no qual acredito totalmente, independentemente do que pense a Comunidade Científica Mundial.

O Dr. Masaru Emoto, usando fotografia de alta velocidade, descobriu que os cristais formados em água gelada revelam alterações quando lhes são dirigidos pensamentos específicos e concentrados. Descobriu que a água proveniente de fontes límpidas e a água exposta a palavras de amor exibem padrões de flocos de neve brilhantes, complexos e coloridos.

Em contraste, a água poluída ou a água exposta a pensamentos negativos formam padrões incompletos e assimétricos, com cores baças.

Com o trabalho do Dr. Emoto, temos evidências factuais de que a energia humana vibracional, os pensamentos, as palavras, as idéias e a música afectam a estrutura molecular da água, a mesma água que compõe 70% do corpo humano adulto e cobre a mesma porcentagem do nosso planeta.
A água é a fonte de toda a vida neste planeta e a sua qualidade e integridade são vitalmente importantes para todas as formas de vida. O corpo é semelhante a uma esponja e é composto de cerca de sessenta triliões de células que contêm líquidos. A qualidade da nossa vida está directamente ligada à qualidade da nossa água.

A água é uma substância muito maleável. A sua forma física adapta-se facilmente a qualquer ambiente. Mas sua aparência física não é a única coisa que muda: a sua forma molecular também se altera. A energia ou as vibrações do meio ambiente mudarão a forma molecular da água. Nesse sentido, a água não só tem a capacidade de reflectir visualmente o meio ambiente, mas ela reflecte também esse meio ambiente a nível molecular.

Este é um tema de que eu nunca tinha ouvido falar mas depois de ler os livros atrás referidos, descritos de uma forma tão bela, lógica e compreensível que como disse me fascinaram, jamais poderei observar a água como o fazia até então, passando a respeitá-la muito mais e a agradecer e a bendizer cada decilitro de tão precioso líquido que bebo, vibrando em contacto com água pura e límpida e sofrendo quando encontrar água poluída e morta. A vida humana está directamente ligada à qualidade da água, tanto dentro como ao nosso redor, já que o corpo humano, enquanto feto, é 99% água, quande nasce 90% e quando adulto 70%. Sem água não seria possível existir vida no Planeta, por isso, a água é vida.

Cabe à humanidade reflectir e penitenciar-se sobre todo mal que tem feito à Á-G-U-A e passar a tratá-la com carinho e amor, respeitando-a e venerando-a, tal como sugere o Dr. Masaru Emoto.