quarta-feira, 26 de novembro de 2008

HAJA COERÊNCIA

Ao longo da vida conhecemos pessoas que pela sua irrepreensível forma de agir conquistam a nossa simpatia e pelas quais sentimos um grande respeito e admiração.

Porém, algumas dessas pessoas, em determinada altura do seu percurso, acabam por nos desiludir e decepcionar porque foram capazes de praticar acções que nos desgostaram e causaram grande surpresa.

Ultimamente, uma das pessoas que muito me desiludiu foi o Senhor Bastonário da Ordem dos Advogados, quando afirmou no Programa Grande Entrevista da RTP que "algumas detenções realizadas no decurso do Processo de Pedofilia da Casa Pia visaram decapitar o Partido Socialista, em acções orientadas pela Polícia Judiciária".

Mais recentemente, o Senhor Bastonário afirmou também que considerava excessiva a prisão preventiva do antigo administrador do BPN, Oliveira e Costa, responsável pela delapidação de mais de 800 milhões de euros em negócios ruinosos, créditos malparados e outras extravagâncias que causam perplexidade a qualquer cidadão honesto.

Por outro lado, o Senhor Bastonário refere-se com frequência à impunidade que se verifica nos chamados crimes de colarinho branco e à necessidade de uma actuação mais eficaz por parte da Justiça.

Então em que ficamos, Senhor Bastonário? Os seus bem intencionados princípios de equidade e justiça não são para ser aplicados a todos os casos e em todas as situações?

Pelos exemplos referidos e outros que também aqui podiam ser apresentados, parece-nos que não, daí a enorme decepção que nos causou o homem que tínhamos como corajoso, frontal, justo e detentor dos mais elevados padrões éticos e morais. Que pena!


terça-feira, 25 de novembro de 2008

AS CRIANÇAS NUNCA MENTEM

As crianças são, por natureza, puras e inocentes. Por norma não mentem mas quando o fazem, são facilmente apanhadas porque os seus rostos são os primeiros a denunciar as suas mentiras.
As crianças da Casa Pia não são diferentes das outras crianças. Pessoalmente, acredito que elas falam verdade. E para ser sincero, acredito muito mais nas graves acusações que fazem, na condição de vítimas abusadas e violentadas do que nos adultos envolvidos nesses abusos e que adoptaram como estratégia de defesa, a falta de credibilidade das crianças, acusando-as de serem mentirosas.
Pobres crianças! Foram entregues à guarda de uma Instituição que devia protegê-las e foi ela própria, a Instituição, através de alguns dos seus funcionários a roubar, em primeiro lugar, a inocência a crianças de tenra idade e a colocá-las depois, na rota da pedofilia, ao serviço de uns tantos Senhores bem posicionados na sociedade portuguesa e bem protegidos, ao mais alto nível.
Do que tenho visto e ouvido, sinto imensa vergonha. Como é possível que homens adultos, aparentemente saudáveis e respeitáveis, sejam capazes de tamanhas monstruosidades?
Um pedófilo é um criminoso perigoso, capaz de rasgar as entranhas de uma criança e de lhe infligir as mais horrendas barbaridades, quiçá até matá-la, para satisfazer as suas depravadas fantasias sexuais.
Durante décadas, os pedófilos puderam abusar das crianças a seu bel prazer, porque sabiam que a justiça não os incomodaria. Durante décadas, as crianças foram violentadas e sofreram caladas porque estavam entregues a si próprias e era fácil ameaçá-las e comprar o seu silêncio.
Creio que entretanto, algo mudou, para melhor na Justiça portuguesa, na defesa das inocentes crianças e estão criadas condições para que possa actuar sobre os pedófilos com grande severidade, aplicando-lhes penas exemplares.
Dentro em breve, quando for lida a sentença do processo Casa Pia, veremos se a Justiça foi capaz de fazer justiça, tratando ricos e pobres de forma idêntica. Estamos todos cá para ver.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

YAZALDE É NOME DE CRAQUE

YAZALDE é nome de craque.
Quem não se lembra do extraordinário jogador argentino Héctor Casimiro YAZALDE que na década de 70 brilhou ao serviço do Sporting Clube de Portugal, tendo marcada na época de 1973/74, 46 golos em 30 jogos que lhe valeram a conquista da bota de ouro? Infelizmente, faleceu ainda muito novo, em 1997, com muito ainda para dar ao futebol, vítima de uma hemorragia e paragem cardíaca, com apenas 51 anos.
Porém, hoje, não é deste grande jogador que quero falar mas sim do jovem futebolista do Varzim que há dias vi jogar pela selecção de sub-21 de Portugal, na goleada à equipa espanhola (4-1) e que me deslumbrou.
Este jovem jogador de 20 anos tem tudo para ser um atleta de eleição. Fiquei encantado com o seu toque de bola, os seus passes milimétricos, a sua técnica, a sua força física, a sua velocidade, os seus extraordinários cruzamentos, o seu poderoso remate e a enorme capacidade de proteger a bola dos adversários. Não lhe vi perder a bola uma única vez.
Estamos em presença de um potencial jogador, de extraordinário porte atlético, com grande estilo e beleza a jogar que me transmitiu a ideia, sempre que tinha a bola nos pés que o futebol é mesmo muito bonito, simples e fácil. Na verdade, o que se passa com este jovem, é que ele consegue sair de situações difíceis com a maior das facilidades, razão pela qual nos transmite esta ideia ilusória de que o futebol é bonito, simples e fácil. Que regalo para os olhos! Com jogadores como este, sem maldade, concentrado no jogo a cem por cento, perseguindo constantemente a bola e não dando tréguas aos adversários, os estádios estariam sempre cheios e os adeptos ficariam sempre satisfeitos.
Como adepto de futebol, gostaria de o ver no Clube da minha simpatia, o Benfica e faço votos para que os seus dirigentes estejam atentos a este jovem fenómeno que se não sofrer algum percalço na sua carreira, vai dar que falar.
Boa sorte YAZALDE, por mim, já estavas no SLB.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O GOVERNO NÃO FALA VERDADE


IMAGENS RETIRADAS DO GOOGLE

A vida política portuguesa, vai de mal a pior. Os políticos não olham a meios para alcançar os seus objectivos. O descrédito é imenso. Todos os dias verificamos, através da realidade económica e do funcionamento das instituições que somos constantemente enganados, em especial, por este governo que despudoradamente, até há bem pouco tempo, anunciava aos portugueses, cheio de certezas e convicções que estivessem tranquilos porque a economia ia crescer acima da média europeia, que a situação financeira da banca portuguesa era desafogada, que os graves problemas dos Estados Unidos não teriam impacto significativo na economia e na sociedade portuguesa, etc., etc., etc.
 
O Governo propagandeou uma realidade que ninguém mais vislumbrou e até acusou e ridicularizou quem teve a ousadia de o desmentir.
 
Como não podia deixar de ser, a realidade era bem diferente e agora está aí à frente dos nossos olhos, nua e crua: a economia não vai crescer, a Banca estava falida ou em grandes dificuldades e a crise financeira nos Estados Unidos afinal, tem graves repercusões em todo o Mundo e também em Portugal.
 
E o que faz agora o Governo? Em vez de reconhecer que errou, encarando essa realidade com natural humildade e responsabilidade, continua do alto da sua prepotência e da sua arrogância a agir da mesma forma, contribuindo com essa sua política, para agravar também, os problemas educativos, económicos, desportivos e sociais deste País, atingindo de forma muito violenta as famílias com menos recursos, os mais desfavorecidos que são, em tempo de crise, os mais penalizados.
 
Em vez de criticar, gostaria de poder elogiar mas infelizmente não é possível

FALSOS MORALISTAS

 
IMAGEM RETIRADA DO GOOGLE
 
De facto, a ética e a moral são uma treta. Bem prega Frei Tomás... Há pessoas que pretendem fazer-se passar por arquétipos da ética, criticando e humilhando constantemente os outros, especialmente aqueles que tenham a ousadia de se atravessar no seu caminho. Depois..., inesperadamente..., caem em desgraça porque a sua ética e moral afinal só existia relativamente aos outros.
 
Em Novembro de 2007, numa reunião que tive com a Senhora Vereadora Ana Sara Brito, fui presenteado com uma série de frases humilhantes, pretendendo a Senhora Vereadora demonstrar uma superioridade moral que afinal não tem.
 
Usufruiu durante 20 anos de uma habitação da Câmara, começando por pagar em 1987 uma renda de 6 ou 7 mil escudos mensais e 29 mil escudos em 2007! Estamos a falar de alguém que aufere actualmente mais de 700 contos mensais mas já naquela data exercia a profissão de enfermeira e, pelos vistos, desempenhava na Câmara, o cargo de Vereadora.
 
A Senhora Vereadora, durante 20 anos, admitiu que se sentiu de consciência tranquila. Então porque denunciou o contrato em Dezembro de 2007 se se sentia tão tranquila de consciência? A resposta é simples: É que a Senhora Vereadora fez denúncias de ilegalidades, nomeadamente na GEBALIS e, ao mesmo tempo, decorria na Câmara uma investigação sobre irregularidades na atribuição de casas pelos anteriores Executivos.
 
Temendo que a sua situação viesse a ser questionada, a Senhora Vereadora apressou-se a pôr fim a uma situação escandalosa mas que afinal, em seu entender, era normalíssima e até tinha um contrato de arrendamento legal, aprovado pelo saudoso Presidente da Câmara, Engº Nuno Krus Abecasis...
 
A Senhora Vereadora Ana Sara Brito não tem condições para continuar à frente dos pelouros da Acção e Habitação Social da Câmara e deve demitir-se. Depois deste episódio, ficou sem autoridade moral para tomar determinadas decisões, ao serviço da Câmara.
 
Quando entregou a casa porque concluiu que estava a lesar o erário público e não renunciou ao cargo, esteve igual a si própria, pois tal atitude é equivalente aos seus valores éticos e morais e explica porque não teve problemas de consciência por usufruir de uma casa da Câmara, durante vinte anos, pagando uma renda social insignificante, a que não tinha direito, em função dos seus rendimentos.
 
Há pessoas que dizem que a Vereadora está muito chamuscada. Em minha opinião, a Senhora Vereadora tem queimaduras gravíssimas que a vão obrigar a afastar-se de um cargo para o qual deixou de ter condições de desempenho.
 
É só uma questão de tempo.